Educação | 24/05/2021

PRIMERÍSSIMA INFÂNCIA - Semana Mundial do Brincar convida pais e filhos a mergulharem no universo lúdico das brincadeiras

Estudo realizado pelo Comitê da Primeiríssima Infância identificou quais as brincadeiras são mais lembradas pelos pais e quais são as atividades preferidas da nova geração

Esconde-esconde, amarelinha, pega-pega, carrinhos e bonecas, jogar bola, pular corda. Brincar é essencial para o desenvolvimento das crianças e, para incentivar a prática de atividades divertidas entre os pequenos de até 6 anos, a Prefeitura de Louveira realiza até o dia 30 de maio a Semana Mundial do Brincar (SMB). No decorrer dos próximos dias, crianças do Ensino Infantil da Rede Municipal terão com parte das atividades escolares a realização de brincadeiras lúdicas e educativas baseadas no tema Casinhas das Infâncias. 
 
Devido à pandemia, as aulas continuam sendo realizadas de forma remota. Por isso, pais e responsáveis foram convidados a filmar e fotografar as brincadeiras para compartilhar com a comunidade. Um dos principais objetivos da ação é promover a integração entre pais e filhos dentro de casa. 
 
A Semana Mundial do Brincar é um movimento mundial promovido pela ONG Aliança pela Infância. Em Louveira, a ação é realizada por meio do Programa da Primeiríssima Infância, composto pelas secretarias de Saúde, Educação e Assistência Social. 
 
Nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), cartazes fixados em locais de maior circulação chamam a atenção dos pequenos para as tradicionais brincadeiras de criança como balança caixão, elástico, babalu, taco, entre outras. 
 
Casinhas das Infâncias
 
O tema proposto em 2021 tem como meta fortalecer nas crianças o desejo pelos brincadeiras infantis, especialmente as atividades lúdicas que expressam as necessidades de proteção e acolhimento das crianças. Um exemplo desse tipo de brincadeira é o faz de conta das casinhas da infância – o castelo de areia, o esconde-esconde, a cabana de lençol, a casa na árvore – enfim, tudo o que pode acontecer nos diversos espaços em que as crianças se sentem livres para brincar.
 
"Valorizar a casinha, a casa e as tradições do brincar em família, das brincadeiras, cantigas e jogos lúdicos passados de geração em geração é a proposta desta SMB 2021. Com ela, entendemos as manifestações lúdicas do universo cultural das infâncias brasileiras como formas de cuidado e convivência, que podem curar e fortalecer a alma nesse momento de pandemia e turbulências", ressalta a secretária de Educação de Louveira, Maria Luciane Felipe de Paula. 
 
Lembranças 
Dia do Brincar - pesquisa
Para basear as atividades, o Comitê Municipal do Programa de Primeiríssima Infância - composto por representantes das secretarias de Assistência Social, Educação e Saúde - realizou um estudo para resgatar as brincadeiras que os pais e responsáveis praticavam na infância e identificar quais são as atividades mais praticadas por seus filhos em casa, principalmente durante o período de pandemia. 
 
Ao todo, foram enviados 2.489 formulários eletrônicos com duas questões sobre o tema:
 
O que os pais lembram de brincar/brincadeiras na infância?
 
O que os pais brincam atualmente com os filhos?
 
Esconde-esconde foi a brincadeira mais lembrada pelos pais. Do total de 540 pessoas que responderam as perguntas, 26,85% citaram a atividade. Coincidentemente, é também a mais brincada atualmente pelos filhos, com participação em 19,4%. Em segundo lugar no mundo adulto, a amarelinha aparece como lembrança para 15% dos entrevistados. Mas, a brincadeira é praticada por apenas 0,1% dos filhos. As atividades lúdicas com bonecas e bonecos (personagens) aparece como a segunda opção da nova geração (VEJA QUADRO ABAIXO).
 
O estudo aponta uma mudança comportamental dos tipos de brincadeiras realizadas nas diferentes gerações. De acordo com o Comitê, os pais brincavam mais livres e com brincadeiras de “chão”, com maior gasto energético e físico (brincadeiras de ação). Já na atual geração, (os filhos) observa-se a incorporação de objetos, caracterizando a brincadeira mais técnica e elaborada. Algumas citações do uso de telas (TV, celular) não foram classificadas como brincadeiras, por não haver interações com o ambiente ou trocas de aprendizagens.
 
"Estudos atuais demonstram a importância do brincar para a aprendizagem e desenvolvimento infantil saudável. A essência da infância está nos momentos que a criança tem para a exploração: o faz de conta, a brincadeira e o jogo. Conforme previsto no Marco Legal da Primeira Infância, esse momento é fundamental para o desenvolvimento. Trata-se de um direito que é tão importante quanto dormir e se alimentar”, afirma a secretária de Educação.
 
CONFIRA AS ATIVIDADES REALIZADAS POR ALUNOS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DURANTE A SEMANA MUNDIAL DO BRINCAR 2021