Saúde | 14/04/2023

Prefeitura de Louveira segue com ações de combate à dengue e pede colaboração da população

Vigilância em Saúde continua no trabalho rotineiro de combate aos criadouros, e neste mês, um teatro sobre a dengue acontece nas escolas municipais

A Prefeitura de Louveira, por meio da Secretaria de Saúde, segue no trabalho de combate à dengue e pede para que os moradores reforcem os cuidados contra os criadouros do mosquito. A Vigilância em Saúde continua no trabalho rotineiro de combate aos criadouros, e neste mês, um teatro sobre a dengue é realizado nas escolas municipais. A ação faz parte da gestão do prefeito, Estanislau Steck, que é comprometido com a saúde e bem-estar dos louveirenses, e intensificou as ações desde o período de fortes chuvas.

“Pedimos a colaboração dos moradores pois somente com a ajuda de todos que vamos conseguir combater os criadouros do mosquito. É a Prefeitura e a população juntas contra a dengue. Além disso, vamos seguir com o trabalho intensificado pela Vigilância em Saúde”, afirma o prefeito Estanislau Steck.

O teatro nas escolas é realizado utilizando fantoches, e por meio de uma história divertida, ensina as crianças sobre os sintomas e os cuidados para evitar criadouros do mosquito. Ao fim da peça, é apresentado um vídeo com desenho animado com informações complementares.

Um fumacê contra a dengue aconteceu nas ruas dos bairros Jardim Diamante, Jardim Belo Horizonte e Altos da Colina, das 7h às 9h, durante a última semana. Por meio de um carro equipado com uma máquina, o fumacê é um inseticida que elimina o mosquito Aedes aegypti.

Como forma de conscientização e controle da doença, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) realiza uma série de outras ações. 

“Uma equipe especializada visita periodicamente imóveis residenciais e comerciais para orientações quanto aos sintomas da doença, bem como medidas de prevenção e controle de criadouros, vistoria em pontos estratégicos, bloqueio de controle de criadouros e aplicação de larvicidas em recipientes que não podem ser removidos”, explica Erica Pin, diretora da Vigilância em Saúde.

“Nas visitas, um dos objetivos é conscientizar as pessoas ao redor sobre os cuidados para combater criadouros do mosquito. Além de aplicarmos larvicidas em recipientes, coletamos algumas amostras para serem analisadas em laboratório para sabermos os locais que devemos dar mais atenção e apoio”, disse Cláudio Adão, agente de controle de zoonoses da Vigilância em Saúde

“O foco da vistoria periódica é trabalhar na prevenção para a saúde dos moradores. Conscientizar a população sobre como evitar criadouros do mosquito é um dos principais caminhos para evitar novos casos”, disse Randor Ricardo da Costa, agente de controle de zoonoses da Vigilância em Saúde.

Uma novidade nas últimas semanas é a utilização de um drone controlado remotamente, que tem a função de vistoriar lugares encontrados fechados pela equipe de campo da Vigilância em Saúde. Através dele, é possível verificar se há criadouros do mosquito à distância.

“Por meio do trabalho realizado pela Vigilância em Saúde e com a colaboração da população, vamos conseguir eliminar os criadouros e evitar que novos casos apareçam. Em caso de sintomas, pedimos para os moradores procurem atendimento médico o quanto antes”, disse a secretária de Saúde, Marcia Bevilacqua.

Como se prevenir da Dengue?

- Tampe tonéis e caixas d’água; 
- Mantenha as calhas sempre limpas; 
- Deixe garrafas ou outros recipientes sempre virados com a boca para baixo; 
- Mantenha lixeiras bem tampadas;
- Deixe ralos limpos e com telas;
- Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;
- Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;
- Retire água acumulada na área de serviço ou em locais como atrás da máquina de lavar roupa.
- Cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas;
- Limpe ralos e canaletas externas;
- Atenção com bromélias, babosa e outras plantas que podem acumular água;
- Utilize lonas bem esticadas para cobrir objetos e evitar formação de poças d’água;
- Mantenha objetos que podem acumular água, como pneus, cobertos ou virados de forma que a água não fique parada.

Sintomas

Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (>38°C), que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações, além de fraqueza, dor atrás dos olhos, manchas vermelhas na pele e coceira.

Os sinais de alarme são assim chamados por sinalizarem a evolução para formas mais graves, com risco, inclusive, de óbito. São eles: dor abdominal intensa, vômitos persistentes, queda de pressão, desmaio e sangramento de mucosas.

Caso observe um dos sintomas citados, busque um serviço de saúde imediatamente. Não tome nenhum medicamento por conta própria.
 
Proteja você e sua família
 
O Aedes aegypti é um mosquito doméstico. Com hábitos diurnos, se alimenta de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer. A reprodução acontece em água limpa e parada, a partir de ovos colocados pelas fêmeas e distribuídos por diversos criadouros. 
 
Em menos de 15 minutos é possível fazer uma varredura em casa e acabar com os recipientes com água parada – ambiente propício para procriação do Aedes aegypti. 
 
Números

De acordo com o último boletim emitido pela Secretaria de Saúde no dia 13 de abril, Louveira registrou 219 casos notificados em 2023, sendo 128 descartados e 81 confirmados. Destes, 77 são autóctones (contraídos na cidade), 2 importados (de outras cidades) e 2 em investigação.

Em 2022, foram notificados 404 casos, sendo 288 negativos e 116 positivos. Dos positivos, 12 eram importados e 104 autóctones. É importante enfatizar que em 2022 houve um maior número de casos entre os meses de abril e maio, mais precisamente 70% dos casos de todo ano. Por isso é importante desde já tomar os devidos cuidados para evitar um aumento de casos nos próximos meses.

Denuncie

Você também pode colaborar no combate à dengue denunciando possíveis criadouros do mosquito pelo número (19) 3878-2323, das 8h às 17h.