Governo | 26/11/2013

Prefeito Junior Finamore assina acordo para participar do ‘Cidades Digitais’

Foto: Divulgação

Durante evento realizado na tarde da última terça-feira (19), em Brasília, o prefeito Junior Finamore assinou um acordo de cooperação com o Ministério das Comunicações para formalizar a inclusão de Louveira na segunda etapa do programa Cidades Digitais, que prevê modernizar a gestão e o acesso aos serviços públicos via internet nas áreas financeira, educação, saúde e tributação.

O anúncio do ingresso de Louveira no programa havia sido feito no final de outubro, mas restava a convocação do prefeito para formalizar o compromisso com o Ministério. 

Para Finamore, o sistema permite muitos benefícios à população e facilidades à Administração Municipal. “O cidadão louveirense não vai mais precisar se locomover à Prefeitura para poder desfrutar de diversos serviços públicos. Além disso, é um ganho muito grande em gestão pública, porque interliga todos os prédios públicos e facilita a comunicação interna e a montagem da base de dados da Prefeitura”, afirma o prefeito Junior Finamore.

Além disso, continua o prefeito, o ‘Cidades Digitais’ vai complementar o projeto da Infovia Municipal, que abrange o programa de videomonitoramento, já em fase final de implantação. Os dois projetos, tanto o Federal como o Municipal, utilizam de estruturas de fibras óticas como fio condutor das informações que interligam toda a cidade a uma central de monitoramento.

Após a conclusão da estrutura, começa a implantação de aplicativos de e-gov nas áreas financeira, de tributação, educação e saúde, e a capacitação dos servidores municipais para o uso e gestão da rede. Em seguida, são ofertados os pontos de acesso à internet para uso livre e gratuito em espaços públicos de grande circulação, benefício que a Prefeitura já trabalha para conquistar junto ao Governo Federal.

O cronograma de implantação do programa nas cidades selecionadas começa a partir da definição das empresas integradoras, prevista para janeiro de 2014. Essas empresas, depois de escolhidas, terão dois meses para visitar os municípios e apresentar o projeto executivo para o aval do Ministério das Comunicações. Depois deste procedimento começa a instalação do programa nas cidades.