Obras | 03/08/2017

Parque Capivari: Mais uma conquista para o munícipe realizada por meio da desapropriação

parque capivari

Por meio da desapropriação (compra) da área, a Prefeitura de Louveira já deu o passo inicial para a transformação da área da represa, no bairro Capivari, tornar-se o futuro parque da cidade. A área desapropriada, ou seja, comprada para a população, está próxima à região central da cidade, com cerca de 110 mil m² de área, interligando espaços para lazer, esportes e eventos. No local haverá calçada, muro de pedra, pista de caminhada, ciclovia, portaria, iluminação, paisagismo e fechamento com gradil.
Hoje o espaço já esta sendo utilizado com a nova sede da Secretaria de Esportes e o Centro de Excelência em Artes Marciais de Louveira.
O início das obras do futuro Parque da cidade se iniciou com a execução da drenagem de águas pluviais. O que isso quer dizer? É a canalização das águas da chuva no entorno da área do parque, para que ela possa ser reaproveitada e recuperada.
Essa drenagem de água da chuva tem uma extensão de rede de 1.207,12 metros, em todo o Bairro Jardim Bandeirantes até o rio Capivari, próximo à represa atrás da antiga cerâmica. A drenagem vai evitar enchentes no local. Ainda nesta primeira fase, a Prefeitura ainda realizará a reconstrução de 49 bocas de lobo e 20 poços de visita.

Desapropriação: Compra de espaços para a população

A desapropriação é o procedimento legal pelo qual o Poder Público compra de seu dono a propriedade de certo bem móvel ou imóvel e entrega para o benefício do povo, fundado na necessidade pública, utilidade pública ou interesse social. O proprietário do imóvel desapropriado é devidamente ressarcido, recebendo o valor de mercado à vista, através de pesquisa mercadológica baseada dentro da lei. Uma cidade em que não haja espaços públicos para o povo se torna impossibilitada de um crescimento futuro ordenado, pois as algumas propriedades particulares ocupam áreas que podem ser de benefício de todos e cabe ao Poder Público esta ação. Estes espaços públicos podem ser o terreno onde se construam novas escolas, postos de saúde, um parque público, abertura de rua para melhorar a mobilidade, entre outros. Visando um projeto de crescimento ordenado da cidade, a gestão Júnior Finamore fez diversas desapropriações, todas em benefício do povo e dentro da normalidade da lei.