Gestão Ambiental | 12/05/2021

MEIO AMBIENTE – Prefeito visita cidade de Extrema para conhecer programa de combate às mudanças climáticas

Estanislau Steck estava acompanhado da secretária de Gestão Ambiental, Rose Celidonio

Extrema 3 O prefeito de Louveira, Estanislau Steck, e a secretária de Gestão Ambiental, Rose Celidonio, estiveram na cidade de Extrema (MG) na última terça-feira (11) para conferir de perto o desenvolvimento do programa "Extrema no Clima", que funciona como uma extensão do "Projeto Conservador das Águas", criado em 2005. A iniciativa adotada em Extrema - que acumula prêmios nacionais e internacionais -  tem como objetivo manter a qualidade dos mananciais da cidade e promover a adequação ambiental das propriedades rurais. 

Na cidade mineira, como forma de retribuição pela adesão ao Programa, os agricultores recebem um pagamento feito pela Prefeitura. O objetivo é garantir que os proprietários realizem a restauração e conservação de áreas estratégicas das propriedades para gerar a formação de vegetações que proporcionem a proteção de córregos, nascentes, fauna, flora e estabilidade geológica. 

Recebidos pelo biólogo da Prefeitura de Extrema, Paulo Henrique Pereira, prefeito e secretária puderam obter mais informações sobre as novidades desenvolvidas pelo Programa aos longo de 15 anos de história na cidade. Entre elas, está a diversificação das fontes de arrecadação para o pagamento dos agricultores.

O município de Louveira já possui dois grandes programas, o PROMIF (Programa Municipal de Incentivo a Fruticultura) e o PSA (Pagamento por Serviços Ambientais), que estão, atualmente, interligados. "Para ser contemplado pelo PROMIF o agricultor precisa implantar o PSA em sua propriedade. São incentivos para que os agricultores possam preservar áreas de relevante interesse na formação de fragmentos de vegetação em suas propriedades que vão, consequentemente proteger córregos, nascentes, promover a manutenção da biodiversidade local, bens de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida. Aqui, o pagamento por serviços ambientais é realizado com recursos da Prefeitura. Em Extrema, o município conta também com recursos de empresas", afirma a secretária Rose Celidonio.  

Extrema é pioneira no Brasil em utilizar este instrumento econômico para promover a conservação e a restauração florestal na adequação de propriedades rurais. "Queremos trazer novas experiências para a nossa cidade. Nossa meta é garantir a implantação de ações bem sucedidas em Louveira", finaliza a secretária. 

Extrema no Clima 
O Programa “Extrema no Clima” foi criado em 29 de agosto de 2018 para combater as mudanças climáticas, com os objetivos de acelerar a redução das emissões de carbono, identificar e implantar medidas de adaptação, reduzindo a vulnerabilidade aos efeitos adversos da mudança do clima e entre outras ações similares. 

Ele prioriza uma ação mais preventiva do que corretiva. O entendimento é que o mecanismo de comando e controle não pode ser o único instrumento de gestão ambiental das propriedades rurais. Sozinho, ele não garante o aumento da cobertura florestal ou a preservação dos mananciais.