Fumhab - Habitação | 22/05/2015

Junior Finamore acompanha obras de complexo habitacional de 191 moradias populares

VISTORIA_OBRAS

O prefeito de Louveira, Junior Finamore, conferiu na manhã de quinta-feira (21 de maio) o andamento das obras de construção do Residencial Mirante de Santo Antônio (Popular 4), que terá 191 moradias voltadas a famílias de baixa renda. Em fase inicial de construção, o conjunto habitacional irá beneficiar cerca de 800 munícipes.

O Mirante do Santo Antônio é o primeiro residencial popular lançado pela atual gestão, que planeja ainda a construção de um empreendimento com 192 apartamentos, com parceria do CDHU, e outro de 384 unidades habitacionais em conjunto com a iniciativa privada. Isso significa um total de 767 unidades de baixo custo, que beneficiarão mais de 3 mil moradores de Louveira – quantidade maior que o total construído na história da cidade.

A primeira etapa da obra abrange a implantação da infraestrutura do novo bairro, que irá consumir cerca de 7,2 milhões em investimentos próprios da Prefeitura. Esta fase consiste na implantação de ruas e lotes, muros de divisa entre os lotes, construção da rede de água e esgoto, além da implantação de galerias pluviais. A estimativa para término desta etapa é de 9 meses.
Já a construção das casas está prevista para iniciar entre julho e agosto, quando acontece o chamamento público para definir a construtora responsável pela obra. A implantação da infraestrutura e a construção das residências podem ocorrer de forma concomitante, o que agiliza a entrega das obras – conforme explica a Fundação Municipal de Habitação de Louveira (Fumhab).

Com tamanho maior que o convencional para este tipo de habitação, as moradias do Residencial Mirante de Santo Antônio terão 60 m² cada.

Os critérios utilizados para entrega das residências ainda não foi definido, mas serão baseados nos estudos provenientes do CIM (Cadastro de Interesse em Moradia, programa instituído pela Prefeitura para diagnosticar a demanda por residências populares na cidade e informações importantes para o desenvolvimento dos futuros projetos habitacionais na cidade. Em cerca de 4 meses, foram cadastradas mais de 3 mil famílias no CIM.