Esporte, Lazer e Juventude | 30/05/2016

Em Louveira, ´capoterapia´ atende idosos e deficientes físicos

A modalidade tem na roda de capoeira um incentivo para melhorar a qualidade de vida

Idosos e deficientes físicos de Louveira encontraram um estímulo diferente para aproveitar a vida. O grupo de capoeira mantido pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, teve a iniciativa de utilizar a modalidade como terapia e despertou o interesse do pessoal da terceira idade e de pessoas com a mobilidade reduzida.

As aulas tiveram início no último dia 23 e já reúne dez participantes. Nomeada pelos próprios alunos como 'capoterapia', a modalidade tem na roda de capoeira um incentivo à atividade física. Os interessados em participar devem procurar a Secretaria, na Área de Lazer do Trabalhador, e realizar a inscrição gratuitamente.

As aulas acontecem no Centro Comunitário do Bairro Vassoural, às segundas-feiras, das 15 às 16 horas. A 'capoterapia' trabalha a musicalização, a expressão corporal, os movimentos adaptados e a dinâmica do esporte. As aulas são ministradas pelo professor Cláudio Sena, que é o responsável pelos treinos em Louveira há 21 anos e já atende 230 pessoas em outras turmas. “A primeira aula foi muito bonita. Poder ver os cadeirantes participando através das músicas e das expressões corporais é gratificante; a inclusão é essencial para a sociedade” afirma.

 

A capoeira surgiu no Brasil no tempo da escravidão. Os negros adaptaram as danças africanas a um tipo de arte marcial como forma de se defender dos senhores de engenho. Na atividade, os instrumentos musicais fazem toda a diferença. “A importância do berimbau é determinar o jogo, a entrada, a saída, o ritmo. Ele é o mestre da capoeira, ele que fundamenta tudo”, explicou o instrutor Cláudio.