Gestão Ambiental | 10/05/2017

Cachorros do mato retornam à natureza

Cachorro do Mato (2).jpg

Na tarde desta quarta-feira, 10, a equipe de Gestão Ambiental e a ‘Associação Mata Ciliar’ tiveram o privilégio de devolver à natureza dois cachorros do mato que foram resgatados na cidade. Os animais estavam debilitados, receberam cuidados especiais, alimentação adequada e possuem microchip, para controle e acompanhamento. Eles também passaram por tratamento veterinário intensivo até a última semana, quando começou o processo de retorno à natureza.

O animal silvestre voltou ao seu habitat natural por meio de um método de soltura inovador: o soft release - ou soltura branda, que consiste na instalação de uma espécie de canil em meio à mata onde o cachorro do mato é incentivado a recuperar seus comportamentos selvagens, como o hábito de caçar para se alimentar, por exemplo.

Segundo os funcionários da Gestão Ambiental e especialistas da Mata Ciliar, o tempo estimado de ambientalização é de uma semana, período suficiente para o cachorro selvagem recuperar sua destreza e não se tornar presa fácil diante de possíveis predadores.

A espécie

O cachorro-do-mato (Cerdocyon thous) mede até 64 centímetros de comprimento. Apresenta pelagem cinza mesclada com preto, que pode variar também em tons de marrom-claro. Na espécie as patas são pretas ou escuras e a cauda peluda, com a ponta preta. As orelhas são médias e arredondadas e em tons escuros.

Tem hábitos noturnos e pode ser observado andando em duplas. Costuma caçar sozinho, porém quando jovem pode agir em grupos de até quatro indivíduos. Alimenta-se de pequenos mamíferos, aves, répteis e também de frutos e auxilia na dispersão de sementes.

Cachorro do Mato (1).jpg
Cachorro do Mato (2).jpg
Cachorro do Mato (3).jpg